Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Servidores e alunos do Ifal compõem frente engajada na produção de 5.000 máscaras

Notícias

Servidores e alunos do Ifal compõem frente engajada na produção de 5.000 máscaras

por Gabriela Rodrigues - Jornalista publicado: 15/04/2020 10h02 última modificação: 15/04/2020 12h47
Exibir carrossel de imagens Equipe envolvida na produção de máscara reúne técnicos e professores do campus Maceió

Equipe envolvida na produção de máscara reúne técnicos e professores do campus Maceió

Uma parceria entre a Diretoria de Extensão, Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação – DEPPI, a Coordenação do Curso Técnico Integrado em Artesanato/Proeja e o Setor Médico, do Ifal Campus Maceió, resultou na composição de uma frente de servidores e alunos engajados na confecção de máscaras em TNT, visando replicar na instituição ações já adotadas por  institutos e universidades de todo o país, como forma de combate a Covid-19. O objetivo da frente é distribuir as máscaras em abrigos, ONG´s, lares de idosos e associações, em Maceió e em municípios do interior, para proteção do público que permanece ou transita nestes locais. As máscaras produzidas também podem ser destinadas a alunos, servidores ou funcionários terceirizados que eventualmente tenham de se deslocar para realizar alguma atividade no campus.

As máscaras são produzidas com TNTA equipe é composta pelo diretor de Extensão, Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Campus, Fábio José dos Santos, a coordenadora do Curso Técnico Integrado em Artesanato Juliana Aguiar Cavalcante, as profissionais de saúde do Setor Médico do Campus Maceió (enfermeiras e médicas) Adriane Duarte Costa, Sônia Araújo da Hora, Rosana Maria de Moraes e Kathia Monielly Tenório, e alunas-artesãs do curso técnico em artesanato. 

A equipe permanece engajada na produção de 5.000 máscaras, cuja confecção segue recomendações preconizadas pelo Ministério da Saúde e que devem ter como destinos  “iniciais” a Associação dos Pais e Amigos dos Leucêmicos de Alagoas - Apala e a Casa para Velhice Luiza de Marillac, ambas na capital alagoana. Inicialmente, um lote de 500 máscaras será disponibilizado para cada uma das instituições.

O trabalho de produção começa no Campus Maceió: um grupo corta as peças de TNT posteriormente enviadas para as costureiras voluntárias, que são alunas do Curso Técnico em Artesanato. Esta segunda equipe é responsável pelo corte dos moldes, costura, montagem e embalagem das máscaras. Todos os cuidados com higiene são seguidos ao longo das etapas de todo o processo de produção e acondicionamento dos materiais confeccionados. Durante o trabalho, a equipe usa máscaras, luvas e toucas.Equipe engajada na confecção de máscaras

As ferramentas utilizadas durante a confecção, como tesouras, bancadas, agulhas, máquinas de costura e embalagens, são higienizadas com álcool em gel 70%. As máscaras são fabricadas com três camadas de tnt 40g e elástico.

A distribuição será organizada pelos próprios servidores voluntários. Após a distribuição dos primeiros lotes, a doação segue para outras instituições, associações e lares cujo foco seja o atendimento a grupos de risco (como idosos ou pessoas em tratamento de doenças) ou que recebam a atendam pessoas em situação de vulnerabilidade social. As máscaras serão entregues em lotes à medida que forem produzidas pela equipe.